VI Fórum Bienal de Pesquisa em Artes

VI Fórum Bienal de Pesquisa em Artes


Com o tema “Corpos entre Artes, Artes entre corpos”, o VI Fórum Bienal de Pesquisa em Artes abrangerá assuntos, como: corpos orgânicos, corpos de ideias, corpos em processos de sensação, percepção e intelecção; incorporidades; teorias do corpo e corpos da teoria. O evento ocorre nos dias 23, 24, 25 e 26 de abril deste ano, na Escola de teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA) e no Teatro Universitário Cláudio Barradas. Inscrições para apresentadores de trabalhos e participantes em geral devem ser feitas pelo site do evento, até o dia 23 de abril.
Debate e socialização - O Fórum Bienal de Pesquisa em Artes é um espaço de debates e de socialização de pesquisas nas diversas linguagens artísticas em interface com outras áreas do conhecimento, realizadas por estudantes e profissionais da UFPA e de outras Instituições de Ensino Superior, assim como por aqueles vinculados a instituições de Ensino Básico Profissional.
O evento visa, por meio de discussões, reflexões, comunicações e performances, repassar à comunidade e, em especial, à classe artística, os resultados das pesquisas desenvolvidas intra e extra-academia, estabelecendo um diálogo que permita maior inserção da universidade na sociedade. O Fórum possibilita aos participantes e à comunidade vivenciarem experiências pedagógicas, estéticas, críticas e éticas no domínio da Arte.
Desde 2002, propõe reflexões acerca do fazer artístico - O Fórum Bienal de Pesquisa em Artes foi criado e implantado em 2002 pelo Instituto de Ciências da Arte (ICA), da Universidade Federal do Pará, e, atualmente, é uma realização do Programa de Pós-graduação em Artes (PPGArtes) da UFPA.
As cinco primeiras versões do Fórum Bienal de Pesquisa em Artes - realizadas nos anos 2002, 2004, 2006, 2008 e 2010 – consolidaram, internacionalmente, o evento como um espaço de conhecimento sobre temas importantes ligados às artes na contemporaneidade. Nas versões anteriores, os temas foram: Arte e Linguagem (2002), Arte, Corpo e Tecnologia (2004) e Arte, Hibridismo e Interculturalidade (2006), Arte e Ambientalidade (2008) e Pro-Vocações – Trans-Formações – Re-Voltas (2010).
A realização do Fórum em 2013 representa a continuidade desse processo de reflexão sobre o fazer e o compreender a Arte na atualidade, constituindo-se em importante espaço para as instituições participantes e ao público em geral, com o tema “Corpos entre Artes, Artes entre Corpos.”
G.I.M.B.A (GRUPO DE INTÉRPRETES MUSICAIS DA BAHIA):
Criado em 2004 pelos professores da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, este grupo tem como principal objetivo promover concertos de música de câmara, através de apresentações que primam pelo alto nível de execução, possibilitado pela excelente formação acadêmica e experiência internacional dos seus integrantes: Prof. Dr. Heinz Karl Schwebel (Trompete), Prof. Dr. Lucas Robatto (Flauta), Prof. Dr. Pedro Robatto (Clarineta), Prof. Dr. Alexandre Casado (Violino) e Profa. Dra. Suzana Kato (Violoncelo). Aproveitando a diversidade de timbres proporcionada pela combinação de seus componentes e eventuais convidados, o GIMBA desenvolve um repertório que é raramente executado, oferecendo ao seu público a oportunidade de ouvir obras inéditas e pouco conhecidas, priorizando as novas gerações de compositores brasileiros. Como professores universitários, os integrantes do GIMBA assumem o compromisso de buscar aproximar as áreas de performance e composição dentro e fora da academia. O grupo tem participado sistematicamente de atividades que buscam fomentar e incentivar a criação dos alunos e professores de composição da Universidade Federal da Bahia, através da realização de concursos, participação em Festivais de Música Contemporânea e recentemente, realizou o concerto de lançamento do projeto Bafrik:http://www.bafrik.com/view/public/home/.
Em 2010 o GIMBA foi agraciado com o prêmio Circuito FUNARTE de Música Clássica, realizando uma turné pelo Nordeste do Brasil e foi também selecionado para Feira Música Brasil sediada em Belo Horizonte. Ainda em 2013 o GIMBA deve lançar o seu primeiro CD, “Fuxico”.
Integrantes:
HEINZ KARL SCHWEBEL : Heinz Karl Schwebel iniciou seus estudos de trompete aos nove anos de idade com seu pai, o Prof. Horst Schwebel, com quem se formou no curso de Instrumento da UFBA no ano de 1993. Em 1990 teve aulas com os Profs. Adolf Weresch e Reinhold Friedrich na Hochschule für Musik em Karlsruhe, Alemanha. Em 1994, como bolsista da CAPES e da Fundação VITAE, realizou o curso de Mestrado no New England Conservatory of Music em Boston, Estados Unidos sob a orientação do Prof. Charles Schlueter e foi vencedor do “Concerto Competition” e do “Honors Brass Competition”. Em 1997 recebeu a “Menção Honrosa” do concurso Rádio MEC no Rio de Janeiro. Em 2000 obteve o título de Doctor of Musical Arts como bolsista da CAPES, outra vez sob a orientação do Prof. Charles Schlueter. Trompetista principal da Orquestra Sinfônica da Bahia, leciona nos cursos de Graduação e de Pós-Graduação da Escola de Música da UFBA, tendo atuado como solista e/ou professor convidado em diversos festivais de música por todo Brasil. Vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte, 2003.
PEDRO ROBATTO: Clarinetista, natural de Salvador-Ba-Brasil, formou-se no curso de Bacharelado com o professor Klaus Haefele na Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, e na mesma instituição, concluiu Mestrado e Doutorado em Execução Musical. Em 1998 estudou com os professores Earl Thomas e Patrícia Kostek na Universidade de Victoria no Canadá, como bolsista do Ministério da Cultura, e em 1988 como aluno convidado na Escola Estatal de Música de Karlsruhe na Alemanha, com o professor Wolfgang Meyer. Desde 1989 é Clarinetista Principal da Orquestra Sinfônica da Bahia e desde 1992 é Professor de Clarinete da Universidade Federal da Bahia no curso de Bacharelado e Pós-graduação. Participou como Professor de clarineta do 27o  Curso Internacional de Verão de Brasília (2005); Professor Convidado no III Festival de Inverno Unisinos (2004) - Rio Grande do Sul e como Professor Assistente (Teacher Assistent) na Universidade de Victoria (1999) – Canadá. Vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte, 2002.
LUCAS ROBATTO: Doutor em flauta pela Universidade de Washington (EUA), com graduação e mestrado na Escola Estatal Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha). Professor Adjunto da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia e Flautista Principal da Orquestra Sinfônica da Bahia. Exerce atividades de solista e camerista, além participar como docente em diversos festivais de música por todo Brasil. Vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte, 2002.
ALEXANDRE CASADO: Pernambucano de Recife, iniciou seus estudos musicais aos seis anos e o violino aos nove. Aos dezoito anos foi aceito na classe do Maestro Corrado  Romano, no Conservatório Superior de Música de Genebra, Suíça, onde se graduou em tempo mínimo e obteve em 1996 o Prêmio de Virtuosidade. Na Itália, após a conclusão do conservatório na Suíça, estudou com Pavel Vernikov. Atuou com vários músicos de renome como Aurèle Nicolet, J. Starker, D. Grosgurin entre outros. Como solista foi regido pelos maestros E. Egan, Helena Herrera, Arlindo Teixeira, Osvaldo Colarusso, Osvaldo D'Amore, Osman Gioia, Marc Kissocs entre outros.  No Brasil, foi professor da Universidade Federal do RN, "Spalla" da Orquestra Sinfônica da Bahia e atualmente é Professor Doutor da Universidade Federal da Bahia.
SUZANA KATO: Iniciou Natural de São Paulo, obteve o seu Bacharelado em Violoncelo em 1992 pela Faculdade Santa Marcelina, na classe do Professor Ricardo Fukuda. Foi integrante da Orquestra Experimental de Repertório e também da Camerata Fukuda. Bolsista da Capes obteve em 1995 o título de Mestre pela City University of New York - Queens College, sob a orientação de David Geber e Barbara Mellow. Em 2003 foi selecionada como bolsista da Fundação VITAE para um curso de especialização do repertório violoncelístico, com o Professor Robert Suetholz (ECA-USP), em São Paulo. Em 2004 assumiu o cargo de Professora de Violoncelo da Universidade Federal da Bahia e nesta mesma instituição concluiu seu Doutorado em Execução Musical no ano de 2010. Como camerista já atuou com vários artistas de renome: Aurele Nicolet, Maria João Pires, Gyula Stuller, Miriam Fried, Paul Biss, Emmanuele Baldini, Ricardo Castro, Benoit Willmann e outros. Atua como colaboradora na Orquestra Sinfônica da Bahia, onde exerceu o cargo de violoncelista Principal de 2007 a 2010.
No dia 23 às 18h o grupo GIMBA se apresentará conforme programação, abaixo.
Gimba - Grupo de Intérpretes Musicais da Bahia
Apresentação dia 23/04/2013
Hora: 18:00 H
Programa
1) Ácordes de Ébano – Wellington Gomes
2) Mandala – Eric Ewazen
Tsong Khapa Emerging From The Tushita Heaven
Fierce Deities Of The Between
Kalachakra Wheel Of Time
3) Fuxico – Marcos di Silva
4) Matizes Circulares – Wellington Gomes
5) Por uma vida Menos Ordinária – Rodrigo Garcia
O Teatro Universitário Claudio Barradas fica localizado na Rua Jerônimo Pimentel, 546, esquina  com a Travessa D.  Romualdo de Seixas, no bairro do Umarizal, em Belém
Serviço
VI Fórum Bienal de Pesquisa em Artes – Tema: Artes entre Corpos, Corpos entre Artes
Período: 23 a 26 de abril de 2013.
Local: Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA) – localizada na Trav. D. Romualdo de Seixas, esq. com a Rua Jerônimo Pimentel, 820, bairro: Umarizal – e Teatro Cláudio Barradas, localizado ao lado da ETDUFPA, na Rua Jerônimo Pimentel, 546.
Inscrições: Até o dia 23 de abril, pelo site do evento.
Contatos: e-mail fbpartes@gmail.com ou pelo fone: (91) 3222-9140
Assista aqui à chamada do VI Fórum Bienal de Pesquisa em Artes.
Mais informações pelo telefone (91) 3249.0373
Texto: Ana Maria Castro
Assessora de Comunicação do TUCB/ICA/UFPA

Arte: Divulgação

Comentários