PROJETO "CORPOMANCIA EM CIRCULAÇÃO"




Corpomancia traz apresentações e debate sobre dança contemporânea
Neste final de semana, o Conectivo Corpomancia, grupo vindo do sul matogrossense, chega a Belém para mostrar, no Teatro Cláudio Barradas, os espetáculos “Inocência”e “Escalenas”, frutos de um trabalho que desenvolve há sete anos realizando pesquisa, produção e criação em dança.
As apresentações são acompanhadas de bate papo e exibição de videodanças, com entrada franca, nos dia 6 e 7 de março. Contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, o projeto “Corpomancia em Circulação” traz ainda uma oficina de dança, que será realizada pela manhã, no dia 6.
Para colaborar com a formação de público e inovar na produção artística, o Conectivo Corpomancia vai realizar depois de cada apresentação um debate com os integrantes, acompanhado de uma oficina de dança subdividida em três etapas: Conferência, Experimentação em dança e Mostra de videodanças.
Nesta conexão mais intimista, serão apresentados durante a Conferência os processos já desenvolvidos pelo grupo; na fase de Experimentação em dança os interessados terão contato com estímulos utilizados nas criações dos espetáculos e num terceiro momento, será exibida parte das Videodanças produzidas pelos participantes do Estado.
O Corpomancia é um dos grandes representantes da Dança Contemporânea do Mato Grosso do Sul. Desde o início de suas atividades, o coletivo cria a partir da reflexão de conceitos que desestabilizam o hábito de produção de dança da região valendo-se da mediação das tecnologias para produzir, e divulgar seus trabalhos.
Formado por artistas de diferentes atuações profissionais, o grupo impulsiona um trabalho que reúne novas linguagens artísticas, desafiando, sobretudo, conceitos tradicionais. Num sistema colaborativo de trabalho o coletivo integra artistas da dança com formações e atuações diversas, mas que têm em comum o objetivo de pesquisar, produzir e criar dança contemporânea e sua relação outros meios de expressão, comunicação ou linguagem: jogo, espetáculo, performance, videodança, videoinstalação e mídias digitais.
“O Projeto de circulação, apresentado ao Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2013, partiu da necessidade de mostrar os seus trabalhos para demais localidades, circular, repercutir e fortalecer sua atuação não só em seu estado sede, mas também em outros Estados do Brasil, com ações que mostram o resultado de alguns trabalhos e também abrem espaço para o debate e a troca de experiências”, explica Roberta Siqueira, uma das intérpretes criadoras do grupo.
Na estrada, neste mês de fevereiro, o grupo iniciou sua jornada na Região Norte, pelas cidades de Porto Nacional e Palmas (TO) e depois de Belém segue para Rio Branco (AC), com objetivo de repercutir o seu processo criativo, fortalecendo o debate e a troca de experiências.

Os espetáculos
Inocência é um espetáculo de dança contemporânea que tem como ponto de partida a obra homônima do escritor Visconde de Taunay, publicada no século XIX e considerada hoje o romance símbolo de Mato Grosso do Sul. As intérpretes Paula Bueno, Renata Leoni e Silvia Razuk provocam o público para o seguinte questionamento: Se Taunay projetasse hoje seu olhar para este mesmo território, que mulher ele veria?
Três intérpretes-criadoras em diferentes fases da vida buscam atualizar os temas propostos no romance a partir de suas próprias questões, entrelaçando física, biologia, filosofia, intimidade e kung fu. Sempre ao som de uma única música que se repete em versões absolutamente distintas, sugerindo que a insistência em um tema já composto pode trazer novos caminhos para o tempo presente.
“Escalena” aborda os escombros do espetáculo “Maria, Madalena”, que se ergue a partir da feminina consciência. Flui, dançando no silêncio. Circunda o cotidiano, movendo-se para a exaustão do gênero. Para reposicionar-se e estudar o outro. Escrutinar a rigidez de algumas escolhas.
Tríptico, 3 lados, 3 bailarinas/ intérpretes, 3 mulheres. E mais: mulheres aos borbotões, se encontrando, se perdendo, se relacionando. Em cena, Franciella Cavalhieri, Laura de Almeida e Roberta Siqueira, desenvolvem no espaço inter-relações. Seus corpos se enlaçam e se amarram, desenhando nós. Laura, Franciella, Roberta e a diretora Renata exploram as sensações de pertencimento, costurando através de linhas invisíveis a tessitura de formas simples. Escalenas, elas sustentam uma base equilibrada para sua própria metamorfose.
Circulação na região norte
A escolha das cidades de Belém (PA), Rio Branco (AC), Palmas e Porto Nacional (TO) para esta circulação foi feita em razão de considerar que são localidades onde há uma variada movimentação na área da dança, não estando presas a uma estética/técnica específica; que estão abertas e por isso interessadas em relações de parcerias por se assemelharem a Região Centro-Oeste no quesito investimento em cultura do Brasil.
A inclusão de outras ações: debates após cada apresentação e oficina de dança, composta por momentos de relatos de experiência sobre o Conectivo, experimentação em dança e mostra de videodanças, além das apresentações dos espetáculos de dança, foram pensadas a fim de colaborar no processo de formação de público e na produção artística em dança contemporânea.
Na oficina, o grupo trabalha olhares, corpos, expectativas e suas as maneiras que os participante têm para responder aos estímulos. Consciência corporal a partir de diferentes qualidades de toques no próprio corpo, sequência coreográfica, exploração de movimento, repertório de danças circulares, criação, videodanças e conversa são os conteúdos explorados nas três horas de oficina que o grupo oferece em cada parada.
A produção geral da circulação é da Arado Cultural, com Roberta Siqueira, Ana Maria Rosa e Maíra Espíndola. A a produção e assessoria de imprensa local é da Três Cultura Produção Comunicação, com Tainah Fagundes e Luciana Medeiros. No áudio está Adriel Santos e na iluminação, Camila Jordão. Em cena, estão as intérpretes criadoras Franciella Cavalheri, Laura de Almeida, Paula Bueno, Renata Leoni, Roberta Siqueira e Silvia Razuk. Acompanhe a circulação pelo blog: http://corpomancia.blogspot.com.br.

Serviço
Conectivo Corpomancia em Belém. Apresentação dos espetáculos: Inocência, no dia 6 de março, em duas sessões às 18h e 20h. E “Escalenas”, no dia 7 de março, às 20h. No Teatro Universitário Cláudio BarradasRua Jerônimo Pimentel, 546, próximo a D. Romualdo de Seixas. Fone: (91) 3249-0373.  Para inscrições das oficinas: corpomanciabelem@gmail.com.br. A oficina de dança será no dia 7 de março, a partir das 10h, na Escola de Teatro e Dança da UFPA. 
 --

Luciana Medeiros
Comunicação e Cultura
DRT-PA 1170


Blog de jornalismo cultural

Contatos: 
91 8134.7719 (Claro)

91 9241.9626 (Vivo)

91 8352.1145 (Tim)

91 8854.4673 (Oi)

91 3088.5858  (Claro Fixo)

POSTADO POR: CAMILA GÓES - Bolsista da secretaria do TUCB

Comentários