Neste espetáculo, a personagem Livramento narra histórias da vida e da obra de Câmara
Cascudo, misturando aventuras, molecagens e feitos desse grande escritor, professor e
folclorista (que detestava essa palavra!) com alguns dos melhores contos - de enganar a
morte, de diabo logrado, de zombaria e esperteza - recolhidos e recriados por ele a partir da
nossa cultura popular.
Do livro que traz na cabeça, ela desfia histórias tocantes e divertidas da meninice de
Cascudo no sertão, suas conquistas amorosas na mocidade, seu encontro apaixonado com
Dáhlia Freire, com os livros e com a cultura do povo. Fala da amizade e da correspondência
mantidas com Mário de Andrade, Villa-Lobos, Guimarães Rosa e Drummond, da rotina de
trabalho em sua biblioteca (batizada por ele de Babilônia), e também das estripulias que
armava com as netinhas, com quem dividia chocolates comprados clandestinamente.
Apaixonada por histórias, pela memória que as gera e pelo livro que as guarda, Livramento
traz penduradas em sua roupa tesouros e cacarecos que recolheu das muitas histórias que
leu e em outras tantas que inventou. Utilizados durante as cenas, esses fragmentos ajudam
a costurar a história da vida e da obra do escritor.
Baseada na leitura da gigantesca obra cascudiana e apoiada também nas preciosas
conversas com Daliana Cascudo, neta do escritor, a autora Conceição Campos constrói um
texto vibrante que, dirigido por Gustavo Guenzburger e embalado pela trilha original de
Pedro Amorim – transforma-se neste espetáculo em que o encantamento pela obra do
escritor contagia a plateia na mesma medida em que vai se revelando para todos a deliciosa
criatura que foi Luís da Câmara Cascudo:
"- Sou um brasileiro feliz!"

DATA:13/06/2018
HORA:18h30min
LOCAL: Teatro Universitário Cláudio Barradas (Tv. Dom Romualdo de Seixas, 820, Umarizal)
ENTRADA FRANCA.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Espetáculo Terra Preta